fbpx

Governo de SP lança programa para capacitar exportadores

image_pdfimage_print


O governo de São Paulo lançou nesta quinta-feira (30) o Exporta SP – Programa Paulista de Capacitação para Exportações, que vai preparar empresas de micro, pequeno e médio portes para acessar o mercado internacional. Essa medida vai ao encontro dos pleitos da Frente Parlamentar do Empreendedorismo – FREPEM, que propôs a criação de um programa estadual de apoio à internacionalização de pequenas empresas.


O presidente da
Frepem, deputado Itamar Borges, comemorou a medida “Em março de 2019, estivemos com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico Patrícia Ellen, e entregamos um documento elaborado por um grupo de trabalho da FREPEM, com vistas a subsidiar a criação de um grande programa. O Exporta SP é um primeiro passo e desejamos a implantação, e se possível, a ampliação dessa iniciativa”, resumiu o parlamentar.

 

A meta do projeto é qualificar 150 empresas este ano e chegar a 1.200 até 2023, fazendo com que um número maior de companhias passe a exportar os produtos de origem paulista. O programa é coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, em parceria com a InvestSP.

 

A globalização transformou os mercados, tornando-os mais abertos e disputados. Para se manterem competitivas nessa dinâmica econômica, as empresas necessitam ter acesso a novos mercados, a novos fornecedores e a novas tecnologias. Nesse contexto, diversos países do mundo buscam fortalecer suas economias e aglutinam-se em blocos ou acordos multilaterais, promovendo a internacionalização de suas empresas. Ao se internacionalizar, empresas de portes distintos, estabelecidas em países distintos, impactam a sua competitividade de maneira positiva, o que lhes propicia oportunidades no mercado internacional e lhes amplia a posição competitiva em seu mercado nacional.

 

A internacionalização traz novos temas para o escopo de fatores que o empresário necessita considerar no exercício de suas atividades, tais como: idiomas e costumes diversos, abertura de escritórios ou filiais em outros países, blocos econômicos, inovação, adequação técnica de seus produtos aos novos mercados, novos competidores, logística internacional, taxa de câmbio e Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS).

 

Aproximadamente a metade das empresas brasileiras exportadoras são micro e pequenas, mas no que diz respeito ao valor exportado, as micro e pequenas empresas são responsáveis por menos de 2% do total exportado pelo Brasil. Em países como Itália e EUA elas são responsáveis por aproximadamente 50%, o que evidencia um grande mercado a ser ocupado.

 

Com o dólar valorizado em relação ao real faz com que os produtos brasileiros tornem-se mais competitivos no mercado internacional.

 

“Esse programa é um meio para que o crescimento econômico se torne prioridade em São Paulo. Das empresas que exportam hoje no Brasil, 45% delas são de Paulo. E temos potencial para muito mais, 63% dos municípios paulistas possuem registro para exportação, contudo o volume de exportação está concentrado em 10% dos municípios”, comentou Patrícia Ellen, Secretária de Desenvolvimento Econômico.

 

O novo programa prevê capacitação com duração de 5 meses por turma e abordará temas que mais desafiam os empresários no processo de internacionalização de produtos e serviços.

 

Para participar, as empresas precisarão se cadastrar no site da InvestSP (www.investe.sp.gov.br/exporte/exportasp) e passar por processo seletivo que avaliará o atual estágio para acesso ao mercado externo. Depois, a empresa receberá a visita de um consultor que irá prepará-la para cumprir todas as etapas do treinamento.

Legenda da foto: Reunião da FREPEM com Patrícia Ellen em 26/03/2019

Compartilhar